Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Investigação portuguesa vai massificar energia solar

Mäyjo, 06.09.14

Investigação portuguesa vai massificar energia solar (com VÍDEO)

 

“A melhor indústria desperdiça 60% do material, qualquer coisa como 200 mil toneladas”, de acordo com António Vallera, professor da Faculdade de Ciências de Universidade de Lisboa.

 

Este foi o mote para que investigadores da Faculdade de Ciências de Universidade de Lisboa, liderados pelo professor Vallera, começassem a trabalhar num projecto que evitasse o desperdício na indústria solar, uma inovação indispensável para a sua viabilidade futura e competitividade em relação a outros tipos de energia.

 

“Seria uma maravilha se, no mundo, tivéssemos energia solar barata. O seu grande problema é o custo – e a investigação tem sempre sido centrada em ideias para diminuir o custo da energia solar fotovoltaica, de forma a que possamos usufruir dela em larga escala”, explicou o professor ao Economia Verde.

 

Assim, os investigadores portugueses propõem uma mudança na forma de fazer células solares, usando o mesmo material – folhas ou bolachas de silício – mas tratando-o de forma diferente. Em vez de serrar as barras de silício já transformado, a investigação vai à origem na forma gasosa e, através do sistema que desenvolveu, forma as bolachas sem desperdício – e, posterioramente, as células solares.

“Projectamos que o custo destas bolachas de silício seja tão baixo que estas ajudam a tornar competitiva a energia solar”, remata António Vallera.

 

Esta tecnologia poderá reduzir o custo das energia solar até um terço do seu preço actual. A próxima fase passa por demonstrar, aos potenciais investidores, as benesses deste sistema. A equipa espera estar a poucos anos de distância da massificação do seu sistema, democratizando a energia solar fotovoltaica e respondendo a um dos muitos problemas da nossa civilização.

 

Foto:  OregonDOT / Creative Commons